Arquivo da tag: filosofia

O homem do conhecimento (Nietzsche)

PARA A GENEALOGIA DA MORAL U M A P O L Ê M I C A (1877) Friedrich Nietzsche Prólogo 1 Nós, que somos homens do conhecimento, não conhecemos a nós próprios; somos de nós mesmos desconhecidos e não sem … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Rap do Nietzsche

http://www.youtube.com/watch?v=u9vjJn8G1QA Genialidade dentro de genialidade em 4min. 25seg. “(…)como é possível que não tenham se cansado desse estímulo monótono de um ritmo parado. empobrecimento musical fenômeno de massa via internet alastrando a desgraça (…)Nietzsche cantando rap, não se vê todo … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Estimar ou conhecer?

ironia (substantivo feminino ( sXV)): 1 ret figura por meio da qual se passa uma mensagem diferente, muitas vezes contrária, à mensagem literal, ger. com objetivo de criticar ou promover humor [A ironia ressalta do contexto.] (Houaiss) “(…) o que, na realidade, não passava de um cálculo … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

Do orgulho às súplicas – Dumas, Alexandre (O Conde de Monte Cristo)

     O personagem principal Edmond Dantès (posterior Conde de Monte Cristo), depois uma armação de seu “ex-futuro” subalterno (comissário do navio de vela Faraó) cumulada com a coincidência de fatos negativos, foi preso na Fortaleza de If (prisão de Estado, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Explicação e Releituras (Cem anos de Solidão – Gabriel G. Márquez) – Parte I – Humano demasiado Humano

Pensando sobre uma mania (um TOC, talvez? kkkk) de reler os livros já lidos e por ter o hábito de grifá-los em trechos que gostei, resolvi anotar (quando der) nesse blog. Sem delongas, vamos lá: ———— Pág. 179, linha 32 … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Joaquim Nabuco, Um estadista do Império

“Uma coisa, pertencente a uma ordem de espíritos, é a organização da vida jurídica da sociedade, e outra muito diversa, pertencente a outra ordem, é a analise ou a síntese dos elementos componentes do direito. Entre a crítica e a … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário